Vendas de carros eléctricos em Portugal

Publicado em 15 de Julho de 2011 |

As vendas de automóveis eléctricos em Portugal têm vindo a crescer consideravelmente. Desde o início deste ano, altura em que foram lançados no país, até agora, foram vendidos 111 veículos, um valor que supera as estimativas iniciais das marcas.

Até ao momento, a marca que lidera é a Nissan, com 81 unidades do seu Nissan Leaf vendidas, 42 das quais foram a empresas e as restantes 39 a clientes particulares. Para muitos, o fabricante japonês é considerado “o grande impulsionador desta revolução tecnológica na indústria automóvel”, sendo que tem assinado acordos com vários países, incluindo Portugal, no sentido de dinamizar a adopção de veículos eléctricos.

Em Portugal, a Nissan traçou já um perfil de comprador. O director de comunicação da Nissan Portugal, António Pereira Joaquim, afirma que “os clientes de um carro eléctrico são pessoas de classe média/média-alta, preocupados com questões ambientais mas também com forte racionalidade na análise de custos e benefícios”.

Já a Mitsubishi vendeu 20 unidades do seu i-MiEV e conta com dez encomendas certas. “Tencionamos vender mais 30 a 40 unidades até ao final do ano”, segundo adianta o relações públicas da Mitsubishi Portugal, João Viegas.

A Peugeot surge no terceiro lugar da tabela de vendas, com 12 unidades do Peugeot iOn vendidas desde o seu lançamento em Fevereiro. O objectivo da marca francesa é vender, até ao final do ano, 100 iOn no mercado nacional, um objectivo sem dúvida ambicioso!

Mas nem tudo corre bem, num artigo recente referíamos-mos também ao facto de que estes compradores ainda não estão a receber o incentivo a que teriam direito – 5000€.

3 Responses to Vendas de carros eléctricos em Portugal

  1. josecaixa says:
    sr antonio pereira joaquim eu sou da classe pobre mas tambem ja tenho ve 2 rodas por agora,tambem racionalizo o meu dinheiro e penso bastante nas questões ambientais.

    se os srs venderem os vossos ve ai por metade do preço talvez consigam juntar os pobres á classe media e media alta!!!!!!

  2. Concordo com o estatuto social do cliente, melhor dizendo socioeconómico, porque por esse preço…
    Agora,”com forte racionalidade na análise de custos” já duvido, pois quando o carro estiver “amortizado” deverá a ter-se em conta o valor de umas baterias novas, aí é que vão ser elas…
    “preocupados com questões ambientais”…Só alguns e talvez se contem pelos dedos porque a maior parte dos media/alta compra porque é diferente é inovador é bonito.
  3. joaquim says:
    Alternativa viáveis aos carros para quem faz o percurso trabalho-casa são as scooters eletricas é só perquisar existem em diferentes classes em baterias de litio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *