Ruídos dos automóveis eléctricos

Publicado em 18 de Setembro de 2009 |

Embora os defensores da diminuição da poluição atmosférica causada pelos automóveis também advoguem que deveria ser acompanha de uma redução sonora, hoje em dia nem todos acham que os veículos eléctricos silenciosos são uma boa coisa.

As pessoas usam os seus sentidos no dia-a-dia e quando um ou mais estão diminuídos, esperamos contar com os restantes. Por ex as pessoas cegas devem usar a sua audição para compensar o deficit visual. Mesmo as pessoas que podem utilizar todos os sentidos na perfeição, utilizam e dependem da audição para se movimentarem e estarem alerta numa qualquer rua com tráfego. Os fabricantes de automóveis eléctricos estão conscientes disto e estão a estudar e investigar novas formas de dar som aos veículos eléctricos por razões de segurança.

É o caso do engenheiro da Nissan, Toshiyuki Tabata, que passou grande parte da sua carreira na Nissan tentando fazer carros cada vez mais silenciosos, mas agora está focado na liderança da equipa que tem que criar um som artificial para o Nissan Leaf. Em vez de olhar para o passado da indústria automóvel que até está repleto de excelentes bons exemplos de sonoridades de motor, Tabata investiga os filmes de ficção científica. Há rumores de que o Nissan Leaf poderá soar como os Spinner, os carros voadores da polícia do filme Blade Runner de Ridley Scott. Estes sons serão apenas usados a baixa velocidade, pois é aí que o ruídos da turbulência do ar e dos pneus não se faz sentir.

Mas a problemática não se fica por aqui, a indústria automóvel está mesmo atenta a este problema. Os condutores do Fisker Karma poderão seleccionar diferentes sonoridades para o seu carro, sendo uma até idêntica à de um motor de Fórmula 1. A VW também indica que o novo conceito apresentado em Frankfurt, o E-up terá um som idêntico ao de um motor a gasolina. A Brabus, uma das primeiras empresas a fazer tuning no Tesla Roadster, para dar ao Tesla uma sonoridade mais desportiva, criaram aquilo a que chamaram Space Sound Generator. Os ocupantes do carro podem escolher um de entre vários sons de motores, onde incluíram um motor V8, a sonoridade de carro de competição, mas também duas sonoridades mais futuristas, denominadas Beam e Warp. O volume do som é dependente da potência instantânea que o motor está a produzir.

O mais provável é que estas questões do ruído dos automóveis eléctricos sejam apenas importantes numa fase inicial, pois mais tarde ou mais cedo haverá outros mecanismos para garantir a segurança rodoviária e as pessoas também se habituarão à ideia de que muitos carros não fazem barulho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *