Renault ZOE Z.E. 40: a caminho da rendição dos céticos!

Publicado em 12 de Fevereiro de 2017 |

O estigma da autonomia dos elétricos vai-se esfumando nos escapes dos motores de combustão… Metáforas à parte, o novo Renault ZOE Z.E. 40 marca uma nova era na história do automóvel. Com uma única carga de bateria anuncia 400 km (ciclo NEDC) de autonomia e – sublinhe-se! – percorre 300 quilómetros em condições normais de utilização. Mas os argumentos não se ficam por aqui: 1,3€ para percorrer 100 quilómetros, revisões de 30€ a 50€. O novo Renault ZOE Z.E. 40 pode ser adquirido, desde já, a partir de 17.560€ (incluído o incentivo do estado no valor de 2.250€) e o cliente beneficia, ainda, da oferta da Wallbox para carregamento a uma potência de 7,4 kW/h!

A democratização da mobilidade zero emissões

“A caminho da rendição dos céticos”! Há título que melhor defina o atual momento da indústria automóvel? Em apenas quatro anos – foi apenas em 2013 que chegou ao mercado! – o Renault ZOE praticamente duplicou a autonomia que oferece. Hoje, o modelo 100% elétrico líder de vendas na Europa percorre, com facilidade e sem preocupações, 300 quilómetros com uma única carga de bateria. Em condições excecionais, as mesmas que permitem a alguns diesel reivindicarem consumos na ordem dos três litros aos 100, até pode chegar aos 400 quilómetros!

O novo Renault ZOE Z.E. 40 marca um novo capítulo na história do automóvel. É verdade que há um outro modelo 100 por cento elétrico que anuncia 400 quilómetros, mas custa quase… cinco vezes mais! Já o novo Renault ZOE Z.E. 40 pode ser adquirido a partir de 17.560€ (incentivo do estado de 2.250€ incluído) com um contrato de aluguer de baterias. Com a bateria incluída, o valor começa nos 28.835€!

Em ambas as modalidades o cliente beneficia ainda da oferta da wallbox doméstica de 7,4 kW/h de potência, que permite carregar o ZOE Z.E. 40 em cerca de sete horas (com a bateria completamente descarregada)… no domicílio!

De uma assentada, o novo Renault ZOE Z.E. 40 vence dois estigmas do automóvel elétrico – autonomia e preço – e reforça uma realidade insofismável: os custos de utilização de um elétrico são… imbatíveis! E são os números que o confirmam.

Para além da autonomia, o argumento da frieza dos números

O novo Renault ZOE Z.E. 40 se for carregado numa vulgar tomada elétrica de uma casa de habitação, empresa ou garagem, pode percorrer 100 quilómetros com um custo de eletricidade de – imagine-se! – apenas 1,3€. Sim, o hipotético valor de dois cafés. A tarifa de eletricidade contratualizada só tem de ser bi-horária. Se não for o caso, a mesma centena de quilómetros tem um custo máximo de 2,2€! Ou seja, também um valor incomparavelmente inferior ao que é reivindicado pelos mais económicos diesel.

Quais foram os números que sustentaram as contas anteriores? Simples. Para percorrer 100 quilómetros, o Renault ZOE Z.E. 40 gasta qualquer coisa como 14kW, enquanto o valor de mercado do kWh varia entre os 0,92€ (tarifa doméstica bi-horária) e os 0,156€ (tarifa doméstica simples).

100 Quilómetros = 1,3 euros!

Os exercícios de aritmética sustentam que o automóvel elétrico é tão amigo da carteira como do ambiente…Imagine-se alguém que percorre uma média diária de 55 quilómetros, ou seja, 20.000 quilómetros por ano. Se iniciar a semana com as baterias completamente carregadas, o mais provável é que só na sexta-feira à noite precise de voltar a ligar o novo Renault ZOE Z.E. 40 a uma vulgar tomada. O custo mensal de eletricidade para percorrer mais de 1.500 km varia entre os 20 e poucos euros e cerca de 35 euros, consoante a tarifa de eletricidade contratada.

No entanto, os reduzidos custos de utilização do novo Renault ZOE Z.E. 40 não se devem apenas ao baixo valor dos “abastecimentos”. Como automóvel 100 por centro elétrico, está isento do pagamento de Imposto Único de Circulação, não é abrangido pela tributação autónoma e, na cidade de Lisboa, nem sequer paga estacionamento. Já para não falar do custo das revisões: entre os 30 e os 50 euros! Sim, não falta um zero. Ou seja, mais uma série de benesses que estão longe de serem negligenciáveis e que somadas ao argumento dos 300 quilómetros de autonomia em condições reais de utilização – insistimos! – justifica o título “A caminho da rendição dos céticos”.

E, se todos os números anteriores são válidos para um cliente particular, que dizer para uma empresa, que também beneficia da dedução integral do IVA sobre o ZOE Z.E. 40. Ou seja, incluindo o incentivo do estado (válido também para as empresas), o custo de aquisição de um ZOE Z.E. 40 é inferior aos 14.000€. Se a empresa optar pela modalidade com a bateria incluída, o custo de aquisição em pouco ultrapassa os 21.800€.

Um significativo avanço tecnológico

Como é que a capacidade tecnológica Renault marca mais um capítulo da história do automóvel? A quase duplicação da autonomia do novo Renault ZOE Z.E. 40 não foi à custa da incorporação de mais baterias. Aliás, a área ocupada pelas baterias e a sua distribuição ao longo do chassis é rigorosamente idêntica à versão de lançamento: 192 células distribuídas por 12 módulos. O segredo passou pela incorporação de uma nova geração de baterias desenvolvidas em parceria com a LG Chen. Baterias com a mais elevada densidade energética do mercado, fruto da melhoria da química e da adição de matéria ativa.

O novo Renault ZOE Z.E. 40 beneficia, assim, de uma bateria capaz de fornecer uma energia de 41 kWh úteis. No fundo, praticamente o dobro da capacidade de armazenamento da bateria tradicional de 22 kWh.

Uma inovação que não obrigou a quaisquer alterações na estrutura do automóvel, nem sequer na rapidez dos carregamentos, compatibilidade com os diferentes postos, fiabilidade ou mesmo segurança.

Com tudo isto, o ZOE Z.E. 40 é o mais significativo avanço tecnológico feito no âmbito dos automóveis 100% elétricos. E, relembramos: em menos de quatro anos, a autonomia praticamente duplicou!

Um automóvel diferente, mas igual a todos os outros!

Como automóvel 100 por cento elétrico, o novo Renault ZOE Z.E. 40 só precisa de uma vulgar tomada elétrica para ser abastecido. Em tudo o resto é um automóvel vulgar. Tem um motor (mas elétrico) que debita 65 Kw, o equivalente a 88 cavalos de potência. O binário máximo de 220 Nm (apenas menos 20 Nm do que o Clio R.S. 200 EDC) fica disponível em menos de um centésimo de segundo, enquanto para acelerar dos 0 aos 50 km/h, só precisa de escassos quatro segundos.

As dimensões e a habitabilidade são idênticas às de um Renault Clio. As linhas são modernas, não passando despercebido o azul “elétrico” nos faróis dianteiros e traseiros, que remete para o universo dos automóveis 100 por cento amigos do ambiente.

O ecrã TFT (Thin Film Transistor) do painel de instrumentos e o ecrã de 7” da consola central do Renault R-Link confirmam que também o novo Renault ZOE Z.E. 40 beneficia dos equipamentos tecnológicos, de segurança e de bem-estar que caracterizam todos os modelos da marca.

Destaque, igualmente, para o lançamento de uma nova versão exclusiva. Designada por BOSE, distingue-se, essencialmente, pelos estofos em pele premium com aquecimento, pelo sistema de áudio BOSE® composto por sete altifalantes, pelas bonitas jantes de 16 polegadas em Preto Diamantado Shadow e por diferentes pormenores estéticos na carroçaria e no habitáculo.

Já as sensações ao volante são diferentes das que se têm num automóvel equipado com um comum motor de combustão. Graças à ausência de ruído e de vibrações do motor, a condução é mais tranquila e serena. As acelerações são perfeitamente lineares e sem solavancos ou “esticões”. Para o condutor, é como se tivesse a caixa automática com que o mercado ainda sonha.

O preço já não é problema

O novo Renault ZOE Z.E. 40 pode ser adquirido a partir de 17.560€, associado a um contrato de aluguer e serviços relacionados com as baterias. Neste valor está incluído o incentivo estatal de 2.250€, que não implica a entrega de uma viatura para abate. Se a opção recair na compra do novo Renault ZOE Z.E. 40 com as baterias incluídas, o preço começa nos 28.635€.

Em Portugal, o novo Renault ZOE Z.E. 40 beneficia, tal como os restantes modelos da gama Renault, da garantia contratual de cinco anos / 100.000 km. Na modalidade de aquisição da bateria, a mesma tem uma garantia de 8 anos (para uma capacidade de armazenagem superior a 60%). No caso da modalidade de aluguer da bateria, as condições contratuais (troca da bateria assegurada pela marca em caso de mau funcionamento ou se a capacidade de armazenagem descer abaixo dos 75 %) fazem com que na prática a garantia seja… Vitalícia!

One Response to Renault ZOE Z.E. 40: a caminho da rendição dos céticos!

  1. Filipe says:
    Boas tardes, parece-me que cada vez mais os eléctricos são uma opção viável.
    Tenho contudo uma questão: o meu contador é de 15 amperes ou 3,45 kva. Será que tenho a potência suficiente para deixar o carro a carregar uma noite inteira?

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *