Nissan cancela fábrica de baterias em Portugal!!!

Publicado em 12 de Dezembro de 2011 |

Em declarações à Lusa, o porta-voz da Nissan, António Pereira-Joaquim, disse que a administração da aliança Renault-Nissan “decidiu suspender a fábrica de baterias eléctricas em Portugal porque, após análise detalhada do plano de negócios, chegou à conclusão que as quatro fábricas espalhadas por todo o mundo seriam suficientes para os objectivos “.

O anterior primeiro-ministro José Sócrates tinha lançado a 11 de Fevereiro a primeira pedra da fábrica de baterias para carros eléctricos da Nissan em Cacia, Aveiro, que representaria um investimento de 156 milhões de euros e a criação de 200 postos de trabalho.

A decisão de suspensão da fábrica portuguesa, que começaria a laborar no início do próximo ano, não está ligada, segundo o porta-voz da Nissan, ao projecto de Portugal sobre a mobilidade eléctrica, embora, na altura, “o avanço e a aposta do Governo nesta matéria tenha contribuído para a Nissan ter optado por Portugal”.

Mas a decisão por Portugal, na altura, ficou a dever-se, segundo o responsável da Nissan, à “localização geográfica”, já que Portugal estaria em condições de ‘ajudar’ as outras quatro fábricas.

António Pereira-Joaquim afirmou à Lusa que a aliança Renault-Nissan “esteve a fazer uma análise dos negócios e chegou à conclusão que, para atingir a meta de 1,5 milhões de carros eléctricos em 2016, seriam suficientes quatro fábricas”, o que deixou de fora o projecto português.

Segundo o porta-voz da Nissan, o grupo “privilegiou as fábricas de baterias que estivessem junto de unidades de produção de automóveis eléctricos”, como as do Reino Unido (Sunderland), Japão (Vama), Estados Unidos (Smyrna) e França (Slinns).

A fábrica portuguesa iria produzir 50 mil baterias de iões de lítio por ano, numa área de 20 mil metros quadrados, e forneceria o ‘motor’ para os carros eléctricos da aliança Renault-Nissan com uma autonomia de 160 quilómetros.

Em Fevereiro, para além do então primeiro-ministro José Sócrates, estiveram presentes na cerimónia de lançamento altos quadros da Renault-Nissan, como o administrador responsável pelas operações da Nissan Motor, Toshiyuki Shiga, e o vice-presidente da Nissan Motor e presidente da Nissan Américas, o português Carlos Tavares.

Update

O Governo espera que a estratégia da Nissan volte a passar por Portugal, depois de a empresa ter suspendido a fábrica de baterias em Aveiro para carros eléctricos, disse à Lusa fonte oficial do ministério da Economia.
Admitindo que ficou a saber da decisão da empresa na segunda-feira – dia em que a Nissan anunciou a suspensão do investimento em Portugal – a mesma fonte adiantou que o ministério está “a acompanhar a situação”, mas sublinhou tratar-se de uma “decisão do investidor”.

A Nissan vai suspender a fábrica de baterias em Aveiro para os seus carros eléctricos, um dos últimos investimentos estrangeiros anunciados pelo ex-primeiro-ministro José Sócrates.

Em declarações à Lusa, o porta-voz da Nissan, António Pereira-Joaquim, disse que a administração da aliança Renault-Nissan “decidiu suspender a fábrica de baterias eléctricas em Portugal porque, após análise detalhada do plano de negócios, chegou à conclusão que as quatro fábricas espalhadas por todo o mundo seriam suficientes para os objectivos”.

O anterior primeiro-ministro José Sócrates tinha lançado a 11 de Fevereiro a primeira pedra da fábrica de baterias para carros eléctricos da Nissan em Cacia, Aveiro, que representaria um investimento de 156 milhões de euros e a criação de 200 postos de trabalho.

A decisão de suspensão da fábrica portuguesa, que começaria a laborar no início do próximo ano, não está ligada, segundo o porta-voz da Nissan, ao projecto de Portugal sobre a mobilidade eléctrica, embora, na altura, “o avanço e a aposta do Governo nesta matéria tenha contribuído para a Nissan ter optado por Portugal”.

Mas a decisão por Portugal, na altura, ficou a dever-se, segundo o responsável da Nissan, à “localização geográfica”, já que Portugal estaria em condições de ‘ajudar’ as outras quatro fábricas.

6 Responses to Nissan cancela fábrica de baterias em Portugal!!!

  1. Fábio says:
    é com alguma tristeza que encaro esta noticia, pois criava alguns postos de trabalho e era um bom projecto para Portugal, mas com esta situação financeira que o mundo vive mais uma fabrica seria colocar a estabilidade das outras 4 em risco!
  2. VEpt says:
    efectivamente é um bom investimento que fica cancelado, independentemente de estar ou não relacionado com os carros eléctricos. Portugal precisava de mais projectos deste tipo.
  3. OOP says:
    Há aqui muita desinformação…mas a verdade virá ao de cima….
  4. Vitor Santos says:
    O aumento brutal de impostos em Portugal está a afastar mutio investidor do país. Ficam só os trabalhadores para sustentar uma classe política devoradora.
  5. Domingos Tavares says:
    Pois, as tentativas de cuidar da saúde do planeta, não são para levar a sério neste país. Acho que convém até não deixar de importar “Carbonetos”, porque se o nosso organismo se conseguir habituar, pode ser que ironicamente, a curto prazo eles tenham que constituir um dos nossos alimentos.
  6. É uma pena que o projeto tenha sido cancelado. Prova mais uma vez que este governo está mais petrolificado que a OPEP, e as gasolineiras todas juntas. O aumento dos transportes públicos em 15% é prova disso. Um país que não tem recursos petrolíferos e não tem indústria automóvel própria, podia com esta oportunidade investir em energias alternativas, deita tudo a perder com o laxismo deste governo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *