Motas elétricas: tudo o que deve ter em conta e vai querer saber

Publicado em 25 de Fevereiro de 2018 |

Cada vez mais assistimos a limitações aos veículos de combustão um pouco por toda a europa: dias sem carros, dias de matriculas ímpares ou pares, impostos aos veículos a gasóleo e, paralelamente, ao aumento dos incentivos fiscais à aquisição de veículos elétricos e à extensão da rede de postos de abastecimento de baterias elétricas. Já não se trata de uma moda, mas também de uma necessidade, muitas cidades europeias tiveram o ano passado um índice de poluição médio muito acima do recomendado pela OMS, o que provocou a morte de 500 000 pessoas com doenças direta ou indiretamente consequência do panorama ambiental.

Em Portugal, o Fundo Ambiental investiu 715.000€ na rede MOBI.E. em 2017. O que era considerado como meio de transporte alternativo, é um cenário cada vez mais real.

Se está a pensar acompanhar a mudança dos tempos e apostar numa scooter elétrica, dizemos-lhe tudo o que precisa de saber antes de tomar uma decisão. É uma alternativa de mobilidade sustentável, com um veículo ecológico, económico e silencioso, mas que ainda envolve muitas questões. Desmitificamos algumas das ditas desvantagens das motas elétricas.

1 – As baterias têm cada vez mais autonomia
Esta é uma das principais preocupações dos consumidores: quanto tempo vai aguentar, como carrego a bateria e com que frequência? A tecnologia neste campo avança rapidamente e cada vez existem baterias mais potentes. A empresa portuguesa EFACEC desenvolve investigação em carregadores que obtêm resultados em 15 minutos.

2 – Carregar a bateria é fácil
Em Portugal existem 1250 pontos de carregamento em 50 municípios. Além disso, também pode carregar uma bateria elétrica em casa, com cabos adaptados, durante a noite, uma vez que tardam entre 8 e 10 horas.

3 – Durabilidade da scooter elétrica
Se carregar a bateria antes de se esgotar completamente, uma bateria de 50 e 75 Ah, pode ser recarregada mais de 300 vezes.

4 – Andar de scooter elétrica sai mais barato
Actualmente é grátis carregar as baterias dos veículos elétricos. Quando começar a ser pago, segundo a rede de abastecimento MOBI.E, um condutor que percorra 16.000km/ano pode poupar até 770€ por ano. Pode fazer as contas: por cada 5,6km gastará 1kWh ao preço de 0,15€-0,35€/kWh.

5 – Ajudas fiscais e aluguer de motas a longo prazo
Os governos europeus dispões atualmente de planos de melhoria da mobilidade sustentável, que passam por conceder incentivos fiscais e subsídios à aquisição de carros elétricos. No entanto, ainda pressupões um pesado investimento para os cidadãos. Pode sempre optar pelo aluguer de motas elétricas ao mês, que numa mensalidade inclui mota nova, quilómetros ilimitados, seguro, manutenção, revisões da mota e assistência em viagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *