Governo prorroga prazo do Programa de Mobilidade Eléctrica

Publicado em 6 de Janeiro de 2013 |

O Governo anunciou que decidiu prorrogar o prazo do projecto-piloto do programa de Mobilidade Eléctrica que terminava no final de 2012. Este projecto poderá ser prolongado até à data de aprovação da nova estratégia ou até 30 de Junho de 2013.

“O Programa para a Mobilidade Eléctrica, tal como se encontra configurado, não evidenciou o cumprimento dos objectivos a que se propunha,” refere o Governo, em despacho, em Diário da República.

Tendo em conta a conjuntura do País, “torna-se evidente a necessidade de dar ao Programa uma nova orientação estratégica e de proceder a uma revisão dos termos em que assenta a sua implementação”.

O Executivo prevê fazer “um estudo aprofundado”, sobre a matéria, “a realizar num período que se prevê poder ter uma duração de cerca de seis meses”.

Esse estudo terá a supervisão dos Secretários de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, Carlos Oliveira e da Energia, Artur Trindade, e será elaborado por uma equipa encarregada da revisão técnica do Programa para a Mobilidade Eléctrica, cujo trabalho não confere o direito a remuneração, compensação ou contrapartidas de qualquer espécie.

carregadores-mobi-e

Assim, o Governo decidiu prolongar a vigência do projecto piloto, assegurando que esta alteração de data não trará qualquer aumento da despesa pública.

O projecto irá decorrer “até à data de aprovação da nova estratégia de revisão do Programa para a Mobilidade Eléctrica, ou até ao dia 30 de Junho de 2013, consoante o que ocorra primeiro, a fase piloto do Programa para a Mobilidade Eléctrica”.

Num conjunto de dois anos seguidos de crise acentuado no sector automóvel, com as vendas a descerem a níveis que não se viam há mais de 20 anos, não seria de esperar que as vendas de carros eléctricos pudessem ter algum sucesso e por conseguinte o programa de mobilidade eléctrica.

One Response to Governo prorroga prazo do Programa de Mobilidade Eléctrica

  1. 382u says:
    importante é que a equipa técnica de revisão não vai receber nada pelo trabalho…
    bom ou mau, não interessa: interessa é ser à borla!
    Gostava de saber quem é que, sendo realmente especialista, se disponibiliza para fazer um trabalho sério à borla.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *