Conversa com Sérgio Relvas

Publicado em 5 de Maio de 2010 |

No seguimento das nossas conversas, hoje é a vez de publicar uma entrevista feita ao Sérgio Relvas, possuidor de uma scooter eléctrica, mas também na qualidade de representante da Associação Nova Energia.

VEPT: Sérgio, quando começou o seu envolvimento com os veículos eléctricos e como surgiu esse interesse?

Sérgio: Sempre gostei de ecologia e tudo o que estava relacionado com o tema. Acabei por me cruzar com os veiculos eléctricos e o raciocínio foi a energia produzida de energias renováveis dava em zero poluição, logo ficámos os “melhores amigos”. O meu pai também teve algum contacto com os eléctricos já que conduziu durante um tempo um Citroen Ax eléctrico tendo-me contagiado com a febre eléctrica. Isto junto fez com que o bichinho eléctrico crescesse em mim.

VEPT:Qual o veículo eléctrico que possui?

Sérgio: Tenho uma Vectrix Vx1. Adquiri-a com menos de 2600kms tendo agora pouco mais de 6666kms. Faz um ano que já está na minha mão e acredito na recuperação do investimento feito por mim na Vectrix. Atenção que isto nunca acontece com nenhum veiculo a combustão já que infelizmente são uma fonte de problemas e manutenção constante. Não é a primeira mota eléctrica que tenho: iniciei-me com a Bereco que me separei ao fim de pouco mais de um ano pela montada que detenho agora. A troca foi necessária para ter mais autonomia e mais velocidade de ponta!

VEPT:Que tipo de dificuldades iniciais teve com a sua utilização?

Sérgio: As dificuldades iniciais foram poucas ou nenhumas, pois não me preocupei muito com pontos de carga. Queria sim, era um VE! Além disso vivo num r/c e assim a dificuldade de carregar a dita era nenhuma. De qualquer das formas comecei a contactar as várias superfícies comerciais e locais onde passava para saber o feedback que existia para colocarem uma tomada para VE’s!

VEPT: Actualmente, ainda considera que foi um bom investimento?

Sérgio: Mais que um bom investimento obtive um bom retorno! No caso da Bereco consegui amealhar todo o dinheiro mensal que tinha como despesa com o meu veiculo a combustão (que ainda tenho). Fiz contas muito por cima: tinha mais de 1 depósito de combustível, uma mensalidade no parque de estacionamento, outra no passe do metro, por fim posso dizer que nem sequer cheguei a um ano com o valor da mota compensado…. Estranho desde quando um veículo é um retorno do dinheiro investido! Com esse dinheiro vou fazer um cruzeiro este ano! Desde que detenho VE poupei mais 3000€ embora a balança esteja pendente para o investimento na Vectrix que me vai dar mais tempo para compensar!

VEPT: Qual é a utilização diária que faz da scooter, nomeadamente a distância e o tipo de percurso?

Sérgio: Faço uns kms, poucos mas bons, estou a pouco mais de 7 minutos do trabalho dependendo da pressa que tenho mas são cerca de 8kms! O percurso não é o melhor pois vivo na Amadora e as obras da IC17 estão a deixar cada vez mais caóticas as estradas, tendo 2 rodas torna se tudo mais fácil, tem uns quantos sinais mas consigo ganhar ao metropolitano…

VEPT: O carregamento é feito apenas em casa, ou tens que recorrer a outros pontos de carregamento?

Sérgio: Normalmente carrego sempre em casa. Actualmente até para não me aborrecer em deixar a mota ao relento comecei a pedir ao condomínio para carregar a Vectrix no parqueamento: pago os Kwh que gasto ao fim do ano… O bom senso impera no meu prédio e tenho muito boa vizinhança mas nem todos podem dizer o mesmo … Mas já saiu uma lei que obriga a tal! Gosto de ir a praia no Verão e comecei a caça de pontos de carga para poder atestar a mota assim o dono está com os seus banhos de sol e a Vectrix a carga, vou as compras e idem aspas, foi sempre assim, bastava pedir… e apelar ao bom senso!

VEPT: Quais são os principais problemas de utilização de um tipo de veículo destes?

Sérgio: Infelizmente tenho a dizer que a Vectrix foi uma empresa que nunca esteve bem de saúde mas agora são águas passadas. Comprei a mota sabendo da iminente falência da marca, mas já está melhor. A Masac (a empresa que a representa em Portugal) se fosse necessário accionaria a garantia. Louvável no mínimo e distinguem-se assim grandes empresas. Quanto a problemas para já nenhuns pelo contrário zero problemas, só precisa é de pneus!…

VEPT: E o principal defeito?

Sérgio: Não considero um defeito mas as baterias sendo de níquel temos que ter algum cuidado! Não serão de forma alguma as baterias mais ajustadas ao cliente que não quer preocupações com o veiculo que adquire. As de Lítio seriam de longe a melhor escolha mas para já aguarda-se! A nova empresa que adquiriu a Marca Vectrix está a estudar tal upgrade! Vou aguardar!!!

VEPT: Usufruiu de algum tipo de incentivos na aquisição e utilização da scooter? Por ex no seguro.

Sérgio: Incentivo, vou ter este ano o primeiro, espero, o tal apoio de 796€ ou 30% do custo do VE, Seguros era muito engraçado as respostas que tinha por parte dos mediadores, seguradoras sobre o veiculo que detinha…

VEPT: O Sérgio faz parte da Associação Nova Energia, em que consiste essa associação?

Sérgio: O fórum e seu conjunto de regras foi criado muito antes da Associação NovaEnergia. Essa surgiu da necessidade de podermos obter representatividade e personalidade jurídica para agir fora do espaço virtual, que é característica do fórum. Utilizo esta expressão do meu amigo Luciano, pois é a que define Associação Nova Energia.

Aos poucos fomos ganhando um destaque que ninguém esperava e hoje somos como que um ícone quando se precisa de algum esclarecimento! A Associação começou primeiro por defender o Biodiesel (o nosso impulsionador) mas admito que o sector de VE’s é o que está mais desenvolvido… No entanto temos imensos temas debatidos e muitas empresas a participarem no nosso espaço, com mais ou menos bom senso já que todos andam a procura do mesmo… Queremos desde o inicio impulsionar as novas energias, amigas do ambientes, desmistificar as más informações que dão de todas as energias renováveis. É certo que temos muito para crescer mas neste momento estamos ainda a tempo, pois o mundo que deixamos deveria ser igual ao que recebemos quando jovens!

VEPT:Uma das acções que o Sérgio está empenhado é na divulgação de um mapa de pontos de carregamento. Tem sido difícil conseguir novos pontos de carregamento?

Sérgio: Nem sempre é fácil pois todos procuram uma forma de ganhar dinheiro. Eu acredito que é possível sem a existência de grandes investimento criar uma rede de pontos de carga para VE’s em Portugal já que arranjo mais depressa uma tomada que um litro de gasolina. As pessoas ainda não sabem bem o que é esta tecnologia o que faz realmente e mais são muito cépticas ao VE. Mas quando começo a demonstrar todas as regalias que podem ter muitos mudam de ideias, tenho pena de não ter mais tempo… Conseguir uma reunião com uma pessoa interessada em tal, para mim já é uma vitória pois posso elucidá-la nas suas duvidas e quem sabe criar mais um ponto de carga!

VEPT:Quando o Governo fala de incentivos para os veículos eléctricos, refere-se praticamente sempre à aquisição de carros, deixando as scooters e motociclos de lado. Que comentários faz quanto a isto?

Sérgio: Uma obscenidade. Sempre foi assim: as motas sempre pagaram mais imposto de circulação, nunca existiu estacionamento para as mesmas, não as tratam como veículos normais e existe um desprezo muito grande pela existência de tal!

VEPT: Sugestões para quem está céptico em relação aos VE?

Sérgio: Experimentar: não vai querer outra coisa! Tenho amigos que fazem mais de 120kms dia mas param cerca de 8 a 9 horas no trabalho e não pensam nunca num VE por causa da autonomia! A Autonomia é um bicho muito mau pois faz com que as pessoas se afastem sem antes experimentarem. Uma ideia: os comerciais de VE deveriam emprestar um veículo a pessoas durante uma semana para testarem e desmistificarem os preconceitos

5 Responses to Conversa com Sérgio Relvas

  1. Serges says:
    Obrigado por esta oportunidade! Um abraço
  2. mauri says:
    Uma óptima entrevista e uma boa perspectiva do futuro em veículos eléctricos. Parabéns
  3. hmgp says:
    Boa Sérgio!

    As pessoas não sabem o que perdem… infelizmente. Mas somos cada vez mais e vamos vencer estas barreiras e preconceitos! E com isso deitamos abaixo alguns lobbys.

  4. OOP says:
    Mais um remar contra a maré, muito bem!
  5. e_bike says:
    Grande Sérgio! Sempre a dar a cara em prol dos VE. Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *