Carros eléctricos com estacionamento gratuito em Madrid

Publicado em 4 de Fevereiro de 2010 |

Os veículos eléctricos já podem utilizar desde o passado dia 1 de Janeiro, de forma gratuita, os lugares de estacionamento municipal de Madrid.

O alcaide da capital espanhola, Alberto Ruiz-Gallardón, mostra-se convencido de que o carro eléctrico se vai instalar no centro de Madrid dentro de muito pouco tempo: “ que ninguém pense que esta medida é uma anedota. Não tenho nenhuma dúvida de que dentro de pouco tempo, a utilização do veículo eléctrico no centro das grandes cidades. Além disso, estou absolutamente disposto a cumprir as directivas europeias relativamente à qualidade do ar. Espero que no final do ano todos os veículos municipais possam ser classificados como frota verde”, disse.

O Alcaide colocou ainda uns distintivos Zero Emissões nos carros eléctricos da Endesa, que lhes vai permitir estacionar sem pagar.
Madrid conta já com 46 veículos municipais eléctricos e irá colocar 280 pontos de carregamento pela cidade. Desde o passado mês de Setembro que, juntamente com Sevilha e Barcelona, estão integradas no projecto Movele promovido pelo Ministério da Industria, Turismo e Comercio. Adicionalmente a esses 280 pontos o Ayuntamiento instalou postos de carregamento adicionais em postos subterrâneos.

No total, Madrid deverá ter dentro de muito pouco tempo uma rede de 500 postos de carga que facilitarão a utilização dos veículos eléctricos.

Outra medida adicional foi uma alteração da lei de propriedade horizontal, permitindo que qualquer cidadão que pretenda instalar na sua garagem um ponto de carregamento, o possa fazer, sem que isso tenha que ser aprovado antes por maioria em reunião de condomínio, visto ser uma acção considerada de utilidade pública.

É certo que em Portugal começou a falar-se de implementar medidas para promover os veículos eléctricos muito antes de outros países, mas o que verificamos é que até que estas sejam implementadas, passa muito tempo…Não vai faltar muito para que sejamos rapidamente ultrapassados por grande parte dos países europeus que só agora acordaram para estas medidas. Os problemas começam a ser conhecidos e as queixas já se fizeram ouvir…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *