Baterias para eléctricos muito mais potentes!

Publicado em 31 de Maio de 2012 |

Hoje trazemos mais novidades sobre um projecto relacionado com as baterias. A Universidade do Colorado conseguiu um financiamento de 5 milhões de dólares ara um projecto de desenvolvimento de baterias de iões de lítio que recorrem à nanotecnologia para aumentar a potência e resistência muito para além do que está disponível hoje em dia. Esta tecnologia poderia depois ser usada para várias aplicações, desde equipamento eléctrico como smartphones até aos veículos eléctricos.

A cientista e professora Amy Prieto, que fundou em 2010 a Prieto Battery, com o objectivo de aumentar em 1000 vezes a potência das baterias e 10 vezes a sua resistência.

A cientista está bastante envolvida no projecto, mantendo até um site dedicado ao projecto com bastante informação sobre a investigação, tecnologia e aplicações. O site pode ser visitado aqui.

O projecto promete para os veículos eléctricos:

  • Carregamento das baterias mais rápido
  • Maior vida útil
  • Melhores acelerações
  • Maior autonomia
  • Maior segurança

Entretanto resta-nos esperar que o projecto tenha sucesso e que os desenvolvimentos possam ser aplicados comercialmente o mais rapidamente possível.

2 Responses to Baterias para eléctricos muito mais potentes!

  1. Vitor Loureiro says:
    É de estranhar que em pleno século 21 se esteja a falar em aumentar autonomias das baterias para os veículos eléctricos, que estranhamente têm autonomias a baixo dos 200km, e são aclamadas como excelentes, quando no inicio do século passado, 1900/20 já existiam veículos eléctricos que atingiam velocidades de 80km/h e tinham autonomias de cerca de 50/180km, com outro tipo de baterias(penso que eram as de niquel-ferro). Por tudo isto, é estranho nesta altura ainda não termos ultrapassado o problema das autonomias das baterias, que são identicas às de à 100 anos atrás.
  2. João A. says:
    Não é de estranhar… os lobbies do ouro negro estiveram a apenas a apostar na tecnologia que mais lhes convinha, infelizmente…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *