Autocarro eléctrico

Publicado em 3 de Janeiro de 2010 |

Já tinha sido noticiado no passado, A CaetanoBus, do grupo Salvador Caetano, está a desenvolver um autocarro eléctrico, um projecto de quatro milhões de euros, que, em Setembro, vai começar a circular em Portugal e na Alemanha.

“O desenvolvimento de melhores baterias e com maior autonomia e o anúncio por parte do Governo da criação de uma rede de abastecimento para o carro eléctrico levou-nos a retomar o projecto de um autocarro 100 por cento eléctrico”, disse à Lusa o presidente da CaetanoBus.

Em entrevista à Lusa, José Ramos adiantou que o calendário do projecto prevê “em Setembro, ter dois protótipos concluídos”, acrescentando que “um vai ser testado em Portugal e o outro na Alemanha”, e, no início de 2011, iniciar a produção nas instalações da CaetanoBus, em Gaia.

O presidente da CaetanoBus explicou que o autocarro eléctrico é vocacionado para as grandes cidades e para os aeroportos, um mercado em que a CaetanoBus tem forte presença em todo o mundo, através da marca Cobus.

“O nosso grande mercado-alvo é a Europa, mas até podemos vender para os EUA, depois de feitas algumas adaptações”, acrescentou José Ramos, que admitiu estar “muito confiante no projecto” que vai exigir um investimento de quatro milhões de euros.

Numa primeira fase, o autocarro eléctrico da Salvador Caetano vai ser alimentado por baterias de lítio importadas da China, mas o objectivo é vir a integrar as baterias, que serão produzidas em Portugal, sendo esta componente responsabilidade da Efacec, que é parceira da Salvador Caetano neste projecto.

O também vice-presidente da Toyota Caetano Portugal adiantou que o veículo terá uma autonomia de 100 a 150 quilómetros, acrescentando que “se se considerar que um autocarro faz uma média de 10 a 20 quilómetros/hora, vai permitir fazer um turno completo sem ser necessário carregar”.

Segundo Jorge Pinto, administrador da CaetanoBus, o autocarro eléctrico será modelar, podendo ter entre 10 e 14 metros e 50 a 70 lugares, e será comercializado com a marca Cobus e Caetano.

“Já definimos as especificações-base e agora há todo o trabalho de engenharia pela frente em que é preciso adaptar os chassis às especificidades do autocarro eléctrico”, revelou o administrador da empresa, acrescentando que “vai ser constituída uma equipa com cerca de dez pessoas para o projecto”.
Nos anos 90, a CaetanoBus desenvolveu um autocarro eléctrico vocacionado para os aeroportos, mas o projecto acabou por não avançar, segundo José Ramos, “devido à fraca fiabilidade que as baterias tinham nessa altura”.

Mas a tradição nos transportes públicos movidos a electricidade vem dos anos 70, quando a empresa do grupo Salvador Caetano fabricou os troleicarros, que circulavam nas cidades do Porto e de Coimbra, também em parceria com a Efacec.

A Salvador Caetano prepara-se para concretizar a compra dos 26 por cento da CaetanoBus à Daimler Chrysler, passando a deter a totalidade da empresa de fabricação de carroçarias e veículos para o transporte público de passageiros, operação a que a Autoridade da Concorrência não pôs qualquer entrave, e que, segundo José Ramos, vai “dar mais liberdade para trabalhar com outros fabricantes [de chassis]”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *