Audi F12, plataforma de desenvolvimento

Publicado em 18 de Outubro de 2012 |

Apresentamos mais um projecto dedicado aos carros eléctricos. A Audi, a Bosch e a RWTH Aachen University desenvolveram uma plataforma para veículos eléctricos utilizando como base a carroçaria de um Audi R8. Este veículo, denominado F12, tem sido desenvolvido ao longo dos últimos três anos. O projecto teve até ao momento um investimento de 36 milhões de euros.

As empresas e universidades envolvidas acreditam que desenvolveram uma plataforma escalável para veículos eléctricos que também poderá vir a ser usada em futuros veículos híbridos plug-in. Este veículo não será lançado comercialmente, sendo o seu objectivo o teste e investigação de diferentes soluções.

O F12 recorre a tecnologia de ponta. O veículo está equipado com três motores eléctricos, com o da frente ajustado para economizar energia e funcionar a baixas velocidades. Os outros dois motores eléctricos estão montados nas rodas traseiras e foram configurados com o foco no desempenho. No total os três motores produzem uma potência de 204cv, com um binário de 550Nm. O F12 possui um pack de baterias de 38kWh provenientes de duas baterias separadas.

O sistema eléctrico funciona alternadamente a 144V ou 216V. Durante os períodos de maior carga, como a aceleração, a potência pode aumentar até aos 440V. Isto permite que o carro aumente a eficiência, quando é necessário menos potência.

Em vez de ar condicionado, o F12 tem uma bomba de calor que também regula a temperatura das baterias. Todo o conjunto está protegido por uma estrutura em alumínio que permite suportar fortes impactos. Para além disso, as baterias podem ser removidas de forma simples, para realizar serviços de manutenção, para casos de emergência ou mesmo para o mundo da competição.

A Audi doou várias partes do carro, mas muito do desenvolvimento veio das universidades alemãs. Alunos da Universidade de Aachen das Universidades Técnica de Munique, Dresden e Ilmenau, da Universidade Leibniz de Hannover e dos Institutos Fraunhofer trabalharam em partes do carro. O Ministério Federal Alemão de Educação e Pesquisa (BMBF) doou € 23 milhões ao programa. Cada grupo trabalhou em áreas separadas do carro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *